As Evidências da Evolução [4] – As revelações moleculares

Quando Charles Darwin escreveu “A Origem das Espécies”, já havia percebido que alguns indivíduos poderiam nascer levemente diferentes dos seus pais e que estas diferenças poderiam ser passadas para os seus descendentes, mas não fazia ideia de como isto ocorria.

Hoje, 150 anos depois, estamos em uma posição privilegiada. Compreendemos hoje como a evolução funciona em nível molecular. Décadas de progresso em pesquisas sobre a genética e a bioquímica dos seres vivos revelaram informações que confirmam que a evolução é um fato!

E em mais um capítulo da nossa série, iremos agora entender porque é impossível negar a origem comum de todos os seres vivos à luz deste conhecimento. Vamos continuar a nossa investigação, desvendando os segredos moleculares e ouvindo o testemunho daqueles que são os verdadeiros responsáveis pela transmissão da vida desde o seu surgimento: os genes!

Com vocês, mais um vídeo do canal PAPO DE PRIMATA!

https://www.youtube.com/watch?v=JMe4V-LtjO8

 

 

 

Veja tambÉm...

12 respostas

  1. Diego Fanha disse:

    AEEEEEHHHH!!!! õ/
    Finalmente.
    Melhor série sobre o assunto.
    Parabéns!

  2. Lucas Barbosa disse:

    Como é que é? Voltou a fazer vídeo? Até que enfim

  3. Wilian Alves disse:

    Parabéns e muito obrigado pelo ótimo trabalho!

  4. Certamente verei mais tarde…

  5. Skull Vicente disse:

    Ufaaaaaaa…… Obg Deus !!!!! Huehuehie

  6. Roger Dantas disse:

    O David tarda, mas não falha! 😀 Excelente vídeo! :)

  7. Marcos Afonso disse:

    AEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE

  8. Marcos Afonso disse:

    Para o mundo que eu quero descer!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

PAPO DE PRIMATA precisa ter certeza de que você não é um robô! Por favor, responda à pergunta abaixo: * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>