Dawkins e a Magia da Realidade

por Caio Nascimento

As obras do biólogo evolutivo Richard Dawkins são sempre recebidas como best-sellers, o que é bastante incomum na área das ciências para não-cientistas. Poucos autores que se dedicam a este tipo empreendimento conseguem conquistar tanto espaço entre o público. Nomes como Carl Sagan, Stephen Hawking e, é claro, o próprio Dawkins se destacam neste meio.

Para além dos frequentes ataques e obliteração de fanáticos religiosos, muitos – inclusive entre os leitores das obras mais famosas – desconhecem os mais de 30 artigos acadêmicos publicados por Dawkins desde os anos 60, seus diversos artigos para a revista norte-americana Scientific American, bem como um pequeno e subestimado livro chamado “A Magia da Realidade”, lançado originalmente em 2011 e traduzido para o português brasileiro em 2012 pela Companhia das Letras.

O livro em questão apresenta um formato físico um tanto quanto diferente das demais obras de Dawkins e, caso você o veja em alguma das estantes pelas livrarias da vida, provavelmente vai pensar que se trata de um livro para crianças. E você estaria certo, já que o livro é, de fato, voltado para crianças e adolescentes, sendo realizado em conjunto com o ilustrador britânico Dave McKean, responsável pela magnifica experiência visual presente em todas as páginas do livro (fãs de quadrinhos talvez lembrem de McKean, uma vez que entre os seus trabalhos figuram as capas das HQ’s de Sandman, Orquídea Negra e do livro infanto-juvenil Coraline). Mas por que, dentre todos os livros de Dawkins, essa pequena obra mereceria tanta atenção? A resposta é simples: este é um daqueles livros que você deveria deixar de herança para os seus filhos!

Nas pouco mais de 260 páginas do livro, o biólogo apresenta um grande resumo do conteúdo já apresentado de forma mais abrangente em suas principais obras. São tratadas, sobretudo, questões sobre as evidências da evolução, as incoerências dos mitos criacionistas e, acima de tudo, o compromisso de responder à pergunta “como sabemos o que é a verdade ?”. A cada página a obra se torna mais fascinante e, dentro de sua proposta, mágica. O autor apresenta de forma concisa (e em linguagem mais simples) fantásticas perspectivas acerca do desenvolvimento da teoria evolucionista de Charles Darwin, os eventos cósmicos responsáveis pelo surgimento de nosso sistema solar, as mudanças geológicas responsáveis pela formação dos continentes como os conhecemos e as diversas belezas do mundo real.

A Magia da Realidade - Ilustração

Dawkins inicia o livro com a proposição “o que é a realidade?“. A resposta soa óbvia, já que ele a define como “tudo aquilo que existe”, porém não deixando de retratar pedagogicamente como definir a existência de civilizações e animais que já não existem mais, assim como os dinossauros, destacando a importância dos fósseis e outros achados arqueológicos neste processo. Durante o primeiro capítulo do livro, temos uma explicação perfeitamente acessível quanto aos parâmetros científicos de apreensão da realidade, seus métodos e distinções quanto aos modelos explicativos místicos e obscurantistas.

Mais adiante, o autor apresenta uma magnifica perspectiva quanto ao surgimento dos seres vivos, dos processos de especiação e a “lenta magia da realidade”, dando o devido destaque em todos os capítulos para as evidências que sustentam estas fascinantes afirmações. Dawkins faz questão de trazer os mitos relacionados a cada um dos temas tratados nos seus capítulos, visando a desmitificação dos mesmos mas, ao mesmo tempo, conhecendo um pouco da antropologia presente na constituição destes.

Seguindo pela linha de abordagem do autor, vemos sempre magníficos exemplos quanto a sucessão e destruição de genes no processo de evolução das espécies. Dawkins consegue deixar isto de forma tão clara e com exemplos tão palpáveis que até mesmo o mais fanático dos criacionistas teria dificuldade de negá-los (não que já não possuam este tipo de dificuldade, mas vale lembrar que este é um livro infanto-juvenil…). Para explicar estes processos, são utilizadas as teorias geológicas que justificam a presença de espécies muito semelhantes em pontos distantes do mundo, as explicações astrofísicas sobre os ciclos das estações, dos dias e das noites e a importância da compreensão do homem quanto a estes fenômenos.

Um dos principais destaques do livro é o interesse em tratar de questões complexas de forma simples, visando tratar sobre o surgimento da vida como a conhecemos, das enormes variedades de espécies de animais existentes e quais as possibilidades e condições necessárias para a vida fora do planeta terra. O capítulo “Estamos sozinhos?” é simplesmente fantástico e consegue, ao mesmo tempo, retirar ilusões vulgares quanto a perspectiva da vida do universo e estabelecer parâmetros reais para a compreensão desta.

Os capítulos possuem títulos instigantes e dialogam com o público alvo. Todos se dão em formas de perguntas como “Quem foi a primeira pessoa?”, “Quando e como tudo começou?”, “Por que coisas ruins acontecem?”. Pare a leitura neste instante e lembre-se da sua infância. Agora seja franco: o que você não daria para vislumbrar ao menos algumas dessas respostas? A experiência é de nostalgia, fascínio e esclarecimento, incentivando os jovens a compreender e amar a ciência desde suas mais tenras idades. Uma oportunidade que muitos de nós não tivemos em nossas infâncias, mas que, graças a autores como Dawkins, podemos reverter o quadro para gerações futuras.

Com a curiosidade dos leitores já atiçada, o autor provoca: “quero mostrar a você que o mundo real, como é entendido cientificamente, tem sua própria magia. Eu a chamo de magia poética, uma beleza inspiradora que é ainda mais mágica porque é real  e podemos compreender como funciona. Em comparação à verdadeira beleza e magia do mundo real, o sobrenatural e os truques de palco parecem vulgares e sem graça. A magia da realidade não é sobrenatural, não é um truque. É absolutamente fascinante e real. Fascinante porque é real!”.

Dawkins quebra o mito infantil arraigado em nossa cultura de que a ciência seria uma destruidora da magia da infância, tornando-a uma experiência extremamente abrangente, onde vocês e seus pequenos-descobridores poderão juntos observar uma fonte de magia inesgotável: a realidade.

O físico norte-americano Brian Greene disse em uma breve entrevista ao canal do Youtube “Big Think” que é fácil ensinar crianças a gostar de ciência, bastando que sejam apresentadas a sua abrangência para além de maçantes questões decorativas e repetitivas. Para Greene, a ciência seria um “ticket” para uma viagem rumo ao desconhecido e aos mistérios do universo. Neste livro, Dawkins oferece este ticket, favorecendo o vislumbre para os olhos dos pequenos cientistas do futuro e possibilitando o diálogo entre uma das mais nobres e preciosas paixões que podem ser compartilhadas e perpetuadas entre pais e filhos: o conhecimento!

separador2

Referências:
DAWKINS, R. 2011, “A magia da realidade: como sabemos o que é a verdade”; Companhia das Letras, São Paulo;

Notícia  do site “The Catholic World Report” sobre Richard Dawkins:
http://www.catholicworldreport.com/Item/2995/the_empty_boring_atheism_of_richard_dawkins.aspx

Vídeo legendado: “Brian Greene – Ensinando crianças a amar ciência”:
https://www.youtube.com/watch?v=TSfAsxlb1ks

 

 

Veja tambÉm...

35 respostas

  1. Diego Andrade disse:

    o melhor é a linguagem simples para um público leigo em ciência como eu, mas dá pra entender super bem.

  2. Jean França disse:

    Livro com conteúdo excelente e ilustrações maravilhosas

  3. Joice Alves disse:

    Presente do dia das crianças que eu nunca tive a oportunidade de receber, mas com certeza vou dar!

  4. Ronaldo Marin disse:

    Acho muito interessante. Angela Paz :-)

  5. Comprei para o meu filho, ele adorou. Lemos juntos e foi uma experiencia incrível.

  6. Xinef Melo disse:

    Não conhecia esse,obrigada pela dica!

  7. Bruce Mota disse:

    Uma gracinha de livro. Introdução à racionalização.

  8. Daniel Aranda disse:

    É fascinante a capacidade do Richard Dawkins em explicar como a ciência funciona, e de compartilhar seus conhecimentos de forma tão clara.

  9. Tenho esse livro e percebi realmente a mesma coisa, muito bom!! Ele explica de forma didática tudo!!

  10. Esse livro é maravilhoso. Recomendo muito 😀

  11. Eu amo esse livro, li e reli e sempre absorvo o conteúdo com facilidade. A maneira que Dawkins se expressa é tão suave que até uma pessoa leiga entenderia os temas abordados. Bela obra!

  12. Cyro Bezerra disse:

    Eu tenho esse livro e ele é simplesmente fantástico.

  13. K. A. G., Tão leiga que desconhece o uso de regência nominal…

  14. A filosofia materialista de Dawkins foi bastante importante para minha formação. Adoro pensar como o mundo funciona numa cadeia causal.

  15. Ilustrações de Dave McKean!!!!!!!!!

  16. Comprei pra minha cunhada quando ela começou a estudar evolução e ler a bíblia -consequentemente entrando em conflito com a educação super religiosa que lhe foi imposta.

  17. Eu comprei para minha filha ler na idade certa.

  18. Leandro Enes disse:

    Eu amei esse livro. Acho inclusive que foi o livro sobre ciência que eu mais gostei de ler.

  19. Luana Nunes disse:

    Nosso dever, Ygor Nunes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

PAPO DE PRIMATA precisa ter certeza de que você não é um robô! Por favor, responda à pergunta abaixo: * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>