Dinossauros e a origem dos bicos das aves

por Ubirajara Oliveira e David Ayrolla

Uma das características mais distintas das aves são os seus bicos, onipresentes em todas as espécies da grande classe que reúne estes interessantes animais emplumados. O bico é uma estrutura anatômica rígida, de superfície queratinizada, sem dentes, que possui uma enorme quantidade de funções dependendo da espécie do animal (pode servir para furar, rasgar ou quebrar alimentos, bem como manipular objetos, servir como arma de defesa ou ataque, ser utilizado na limpeza de penas, em elaborados procedimentos de corte, etc.).

Mas sabendo-se que as aves são sobreviventes do grande clado dos dinossauros e que descendem dos grandes répteis que um dia caminharam na superfície do planeta, com seus focinhos e enormes dentes, uma pergunta sempre foi alvo do estudo dos paleontólogos, ornitólogos e biólogos evolutivos: qual a origem dos bicos das aves?

A novidade é que pesquisas recentes têm trazido algumas boas respostas para esta questão!

separador2

A nossa visão sobre a forma e o hábito dos dinossauros vem mudando ao longo dos anos. A descoberta de penas em dinossauros e as evidências de comportamentos como chocar os ovos e corte, evidenciam o parentesco próximo entre os dinossauros não-avianos e as aves modernas.

A mais recente descoberta a mudar a nossa visão sobre esses animais vem da China, e são 19 fósseis de um pequeno dinossauro chamado Limusaurus inextricabilis. Os restos são de indivíduos de diferentes idades, o que permitiu aos pesquisadores investigarem o desenvolvimento desse animal ao longo da sua vida. As suas conclusões foram publicadas num artigo do periódico Current Biology.

Esqueleto de um Limusaurus adulto.

Esqueleto de um Limusaurus adulto.

Os fósseis destes animais indicavam que os indivíduos jovens apresentavam dentes pontiagudos e relativamente longos. As evidências também sugerem que os jovens tinham uma dieta variada, sendo provavelmente onívoros. Curiosamente, os adultos, por outro lado, perdiam os dentes durante seu desenvolvimento e por isto provavelmente tinham uma dieta mais restrita, sendo herbívoros. Análises químicas dos restos apoiam esta hipótese de mudança na dieta dos Limusaurus.

E a coisa mais interessante é que a boca dos adultos tinha um aspecto similar a um bico desdentado! Além disso, estes adultos apresentavam gastrólitos (pedras engolidas para ajudar na digestão mecânica dos alimentos) que ajudavam na digestão dos vegetais, tal como encontrados nas aves modernas.

Além desta mudança, foram identificadas outras 78 transformações na transição de jovens para adultos destes animais. A descoberta desses fósseis é surpreendente pois não se conheciam mudanças tão drásticas no desenvolvimento de nenhum outro dinossauro. Estas mudanças poderiam ser vantajosas para sobrevivência dos indivíduos por, por exemplo, evitar que os jovens competissem com os adultos por recursos alimentares.

separador2

Em outro importante estudo, baseado em fósseis encontrados na Mongólia, pesquisadores descobriram que o dinossauro herbívoro Erlikosaurus andrewsi apresentava um bico queratinizado, como o das aves modernas.

Utilizando modernas técnicas de modelagem por computador rotineiramente utilizadas na engenharia, os pesquisadores foram capazes de deduzir com muita precisão como os músculos atuavam no crânio deste animal durante o processo de alimentação, permitindo uma boa investigação da forma como estes animais “mordiam. Assim, eles demostraram, por meio de simulações, que esse bico era vantajoso para a alimentação dos animais, sendo melhores por estabilizar os movimentos do crânio no momento da refeição.

O "bico" do Erlikosaurus andrewsi.

O “bico” do Erlikosaurus andrewsi.

Esta descoberta rompe com um antigo paradigma evolutivo: os bicos são vantajosos por serem mais leves que os dentes. Na verdade, a vantagem que garantiu a seleção de bicos córneos em diversas linhagens de dinossauros foi sua “melhor mordida” na alimentação. Isto explica o surgimento independente dos bicos em diversas linhagens de dinossauros!

Agora temos mais evidências da grande série de transformações que ocorreram ao longo da evolução que levaram a origem da forma das aves modernas. Estas mudanças são indicativas de que os mecanismos de origem dos bicos sem dentes das aves modernas já deveriam existir em linhagens de dinossauros do jurássico. Estas descobertas, juntamente com os diversos fósseis de dinossauros com penas e as diversas características anatômicas comuns entre dinossauros e aves modernas, fornecem um panorama cada vez mais completo sobre a evolução destes animais.

Separator

Referências:

Lautenschlager S., Witmer L.M., Altangerel P., & Rayfield E.J. (2013) Edentulism, beaks, and biomechanical innovations in the evolution of theropod dinosaurs. Proceedings of the National Academy of Sciences, 110, 20657–20662.

Wang S., Stiegler J., Amiot R., Wang X., Du G., Clark J.M., & Xu X. (2017) Extreme Ontogenetic Changes in a Ceratosaurian Theropod. Current Biology, 27, 144–148.

Veja tambÉm...

11 respostas

  1. TiaGo Santos disse:

    Por favor, volta com os vídeos no YouTube,gosto muito do seu canal.

  2. Osni Junior disse:

    Que tal um vídeo sobre o assunto ein David, seus vídeos são didáticos pra caramba.

  3. É verdade Davi estamos com saudades de seus vídeos!!!!

  4. Yuki Fernanda Higuchi Sacagni que delicia de postagem kkkk

  5. Até mesmo eles, os dinossauros são separados por dois grupos; os de bacia de ave e os com bacia de réptil.

  6. Galinhas são dinossauros Beatriz Martins

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

PAPO DE PRIMATA precisa ter certeza de que você não é um robô! Por favor, responda à pergunta abaixo: * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>