Marie Curie

No Dia Internacional da Mulher, uma homenagem a uma das mais célebres mulheres da história da Ciência!

Maria Skłodowska nasceu na Polônia, em 7 de Novembro de 1867, filha de professores. Teve uma infância difícil dado a problemas financeiros da família, mas conseguiu ter uma educação razoável e formar-se até o nível secundário. Não pôde, contudo, ingressar em uma universidade por ser mulher.

Estudando de forma independente, trabalhou como governanta até conseguir finalmente começar seus estudos práticos em química no Museu da Indústria e Agricultura. Em 1891, mudou-se para Paris e lá continuou a estudar na Universidade de Paris.

Sua situação financeira ainda era preocupante nesta época. Conta-se que chegou a desmaiar de fome em uma ocasião. Mas em 1893 conseguiu concluir sua graduação em química e trabalhar na área.

Em 1895, casou-se com o professor de Física Pierre Curie e adotou o seu sobrenome. Um ano depois, o amigo físico Henri Becquerel incentivou-a a estudar as radiações, que ele descobriu serem emitidas por sais de urânio. Marie e Pierre passaram então a estudar materiais que produziam radiação, procurando novos elementos que, segundo a hipótese que defendiam, deveriam existir em determinados minérios. Em 1898, confirmaram que estavam efetivamente corretos.

O casal cunhou os termos “radioativo” e “radioatividade” para caracterizar a energia liberada espontaneamente por este novo elemento químico. E, em 1903, juntamente com Becquerel, receberam o Prêmio Nobel de Física.

Após Pierre falecer em um acidente rodoviário, em 1906, Marie Currie ocupou o seu lugar como professora de Física Geral na Faculdade de Ciências, sendo a primeira mulher a ocupar este cargo. Foi também nomeada Diretora do Laboratório Curie do Instituto do Radium, da Universidade de Paris, fundado em 1914.

Madame Curie, como passou a ser conhecida, participou da 1ª à 7ª Conferência de Solvay. Em 1911, recebeu seu segundo Nobel, desta vez de Química (tornando-se a única pessoa até hoje a receber dois Nobel em áreas científicas). Mas nunca patenteou suas descobertas, que considerava pertencer à toda a comunidade científica.

Foi reconhecida em vida por personalidades como Albert Einstein (que a admirava), e chegou a visitar o Brasil para conhecer as ditas propriedades radioativas das águas de Lindóia.

Porém, Madame Curie viveu em uma época em que pouco se sabia sobre os efeitos deletérios da radiação. O pó radioativo com que trabalhava intensamente a acompanhava dia e noite, sendo carregado em sua blusa, em suas mãos e nos seus cabelos.

Ela faleceu de leucemia em 1934, muito provavelmente vítima destes anos de contaminação e exposição maciça à radiação. Mais de 70 anos após sua morte, a análise de seus pertences, como arquivos, livros-razão e até livros de culinária, faziam os ponteiros dos contadores Geiger saltarem.

Seu legado para a ciência é indiscutível. Livros e filmes já foram feitos sobre sua vida, e o elemento Cúrio (Cm) foi assim batizado em honra do Casal Curie.

Marie Curie continua sendo, ainda hoje, um exemplo de mulher à frente do seu tempo!

Veja tambÉm...

24 respostas

  1. Podiam inovar um pouco. Há tantas outras que são pouco divulgadas.

  2. Imagine onde nós humanos se não tivéssemos segregado metade de nossa populacão. Milhares de anos caminhando apenas com uma das pernas…

  3. Aí o porque Denise Dantas!

  4. Marie .. Tão maravilhosa, geniosa ..

  5. Weth Pozzer disse:

    Uma pessoa muito importante para todos, teve muita presença de espirito para chegar onde chegou ✌

  6. Sabia que a casa dela é especialmente as anotações e itens pessoais dela emitem radiação até hoje?

  7. Martha Cruz é vc? Hahahah

  8. O que será que ela descobriu aqui em Águas de Lindóia?

  9. Mariana Nobre disse:

    Acho muito legal a menção à Marie Curie e outras cientistas do passado. Mas acho que seria bem bacana também vocês fazerem posts com cientistas atuais, para estimular as novas gerações. ^^

  10. Roberto Fogaça, Pietro Giuseppe Cosentino, sobre o que conversávamos ontem

  1. 5 de abril de 2016

    […] teoria quântica. 17 dos 29 participantes eram ou se tornaram vencedores do Prêmio Nobel (incluindo Marie Curie, a única pessoa a receber dois prêmios Nobel em duas disciplinas científic…). Foi nesta reunião que Einstein, insatisfeito com o princípio da incerteza de Heisenberg, […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

PAPO DE PRIMATA precisa ter certeza de que você não é um robô! Por favor, responda à pergunta abaixo: * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>