Ch de Dvidas

Portugal mostra o caminho

Está na hora dos portugueses fazerem piada de brasileiros, pois, enquanto aquele país de forte tradição católica deixa para trás a superstição e a repressão, reconhecendo o amor entre pessoas do mesmo sexo e legalizando o aborto para garantir a segurança dessas mulheres – e o número de abortos diminuiu após a legalização, pois as candidatas ao aborto são antes ouvidas por assistentes sociais que tentam dissuadi-las da ideia (e conseguem na maioria das vezes) ao invés de ficarem nas mãos de carniceiros gananciosos, tal como as mulheres pobres do Brasil – aqui na Terra de Vera Cruz as igrejas invadem assembleias legislativas e câmaras municipais para impedir que se fale de gênero nas escolas. A Inquisição brasileira quer que a escola faça de conta que todo mundo é hétero e que transexuais não existem, que homens e mulheres são felizes nos papéis que lhes foram impostos e, em Campinas, aprova-se uma moção de repúdio a Simone de Beauvoir, proposta por um vereador que não faz a menor ideia de em que século a moça viveu.

Enquanto os devotos brasileiros têm pesadelo com a tal da “Ideologia de Gênero”, nova besta que as igrejas forçam por inserir no Apocalipse, e mijam na cama de tanto medo, representantes eleitos em Portugal promovem um concurso literário com o tema “Igualdade de género”. Pasme você que me lê: isso não é uma iniciativa dos vereadores de Lisboa, capital e vitrine por excelência da pátria de Fernando Pessoa, nem dos edis de Coimbra, cidade que sedia uma das mais famosas Universidades da Europa. Não, a iniciativa partiu da Câmara de Odemira, uma cidade da qual jamais tinha ouvido falar, mas é o município português de maior extensão territorial com 1 720,60 km2, e população de 2832 em 2015.

Odemira

Odemira

Para quem tiver textos sobre o tema e quiser participar do concurso, para mostrar que no Brasil nem todo mundo é massa de manobra da Inquisição, aqui está o link do regulamento.
http://www.cm-odemira.pt/PageGen.aspx?WMCM_PaginaId=27775¬iciaId=98105&pastaNoticiasReqId=54605

Inscrições até 30 de dezembro.

Este texto, como os das demais colunas opinativas do portal, é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente o ponto de vista dos demais colunistas ou do papodeprimata.com.br.


Edson Amaro De Souza

Edson Amaro De Souza

Edson Amaro perdeu toda e qualquer esperança de ser normal. Paga suas contas lecionando Língua Portuguesa na rede estadual do Rio de Janeiro, delicia-se praticando teatro de vez em quando, comete a imprudência de escrever versos, atreve-se a praticar a arte da tradução e, como se não bastasse, torce pelo Vasco da Gama. Gosta de tomar chá e semear dúvidas.

Veja tambÉm...

8 respostas

  1. David Ayrolla disse:

    Amigos de além mar: Paulo, Vítor e Mateus, sabiam disto?

  2. Paulo Cardoso disse:

    Por acaso não sabia. Sei que há muita e diversificada actividade cultural e tem muita gente nova e dinâmica à frente dos municípios. Esse é um tema bastante debatido por cá , tanto na opinião pública como nas escolas e portanto há bastante abertura e consciencialização para a importância de uma plena igualdade de géneros na sociedade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

PAPO DE PRIMATA precisa ter certeza de que você não é um robô! Por favor, responda à pergunta abaixo: * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>