Espinossauro

Espinossauro
(Spinosaurus aegyptiacus)

Medindo até 18 metros de comprimento e 6 de altura, com um peso que podia atingir 15 toneladas, o espinossauro foi um dos maiores terópodes carnívoros de todos os tempos. Tem este nome (que significa “lagarto espinho“) por causa da sua característica mais marcante: as longas extensões vertebrais que projetavam-de suas costas, como uma enorme vela de até dois metros de altura. A função desta estrutura é alvo de debates entre os pesquisadores: talvez tivesse função exibitória, como adereço para atrair parceiros ou amedrontar rivais; ou tivesse função termorreguladora. E há quem ache que as “espinhas” não fossem tão planas vistas de frente: talvez formassem uma estrutura sustentadora de uma uma enorme corcova.

A dieta deste gigante também não é ponto pacífico. Algumas características, como o focinho alongado, as narinas elevadas e os dentes cônicos, sugerem que o dinossauro talvez tivesse se especializado em pescar. Mas muito provavelmente não se alimentava exclusivamente de peixes; evidências, como a descoberta de uma espécie assemelhada (o Baryonyx) com restos de um jovem iguanodonte no estômago, indicam que o espinossauro pode ter sido também um predador terrestre, muito provavelmente com uma dieta diversificada como o de um urso pardo. Seus braços longos e fortes o suficiente para agarrar outros grandes animais fortalecem esta hipótese – braços que, aliás, podem ter sido patas dianteiras, segundo alguns pesquisadores que acreditam que este animal era quadrúpede.

Os espinossauros viveram no norte da África, entre 112 e 97 milhões de anos atrás. Curiosamente, foram encontrados dentes e vértebras deste animal no Brasil, mais especificamente no estado do Ceará. De qualquer forma, a luta que se tornou popular no imaginário coletivo, entre um espinossauro e um tiranossauro, provavelmente nunca aconteceu, já que estas espécies eram separadas por milhões de anos. Mas certamente o espinossauro enfrentou adversários à altura: o sarcosuchus, um gigantesco crocodilo de 8 toneladas, e o feroz carcharodontossauro eram seus contemporâneos, viveram na mesma época e deviam disputar as mesmas presas.

A propósito, já que falamos de crocodilos, uma possibilidade interessante é a de que o espinossauro nadasse como os crocodilianos atuais, procurando por presas enquanto locomoviam-se graciosamente sobre as águas. Desta forma, a visão daquela gigantesca vela navegando em sua direção seria uma experiência capaz de fazer fugir os mais corajosos banhistas do cretáceo!

Veja tambÉm...

15 respostas

  1. Roger Dantas disse:

    Eu me lembro desse dinossauro nas figurinhas do Nestlé Suspresa. :)

  2. Caio César disse:

    Essas informações estão um pouco desatualizadas , ano passado surgiu a informação na revista science que evidências apontam ele como quadrúpede e proporcionalmente menor do que se pensava.

  3. Eu tinha um, mas caiu um meteoro e ele morreu.

  4. Papo de Primata, a National Geographic Brasil fez uma matéria de capa na sua edição de outugro de 2014 todo o processo de “montagem” do espinossauro, usando fotos de fósseis destruídos na Segunda Guerra e outros encontrados mais recentemente, que foram escaneados em 3D. Assim foi possível reconstituir digitalmente o bicho de uma forma nunca feita. Entre outras coisas, ao contrário do que se acreditava até então, o ele era quadrúpede.
    Aqui está a matéria: http://viajeaqui.abril.com.br/materias/dinossauro-spinosaurus-aegyptiacus
    No link abaixo tem um vídeo com a reconstituição virtual: http://www.bbc.com/news/science-environment-29143096

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

PAPO DE PRIMATA precisa ter certeza de que você não é um robô! Por favor, responda à pergunta abaixo: * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>