Estegossauro

Estegossauro
(Stegosaurus armatus)

O estegossauro era um dos mais imponentes herbívoros que já habitaram a região, que hoje é a América do Norte, no final do Jurássico. Podendo medir 9m de comprimento e 4m de altura, estima-se que este quadrúpede pudesse pesar até 5 toneladas.

O estegossauro é um dos dinos mais comuns na cultura popular (e um dos preferidos para a confecção de brinquedos), possivelmente por causa de algumas características anatômicas ímpares. Por exemplo, a arma mortal posicionada no fim da sua causa, uma verdadeira “massa”, com quatro enormes espinhos ósseos que podiam passar dos 60cm. A causa musculosa já era, por si só, forte o suficiente para, com uma só pancada, derrubar facilmente grandes predadores. Mas os espinhos a tornavam letal! Seria prudente manter-se longe daquela arma que provavelmente movia-se de forma pendular para aumentar a potência do golpe…

Outra particularidade interessante eram as grandes placas osteodérmicas em seu dorso. Inicialmente, imaginava-se que eram distribuídas como as telhas em um telhado (daí o nome com que foi batizado, que significa “lagarto telhado“), porém mais tarde descobriu-se que posicionavam-se verticalmente, ao longo de duas fileiras. A sua função ainda é alvo de discussão. Alguns pesquisadores acreditam que serviam como ornamentos (para atrair fêmeas, por exemplo), ou ainda como um meio de defesa – embora constituíssem um armadura ineficiente, já que as laterais do animal ficariam expostas. Uma outra possibilidade é de que, sendo amplamente vascularizadas, fossem utilizadas como termorreguladores, enormes “radiadores” que regulavam a temperatura do dinossauro.

O estegossauro tinha uma cabeça minúscula, comparado ao seu enorme corpo, e um cérebro diminuto, pouco maior que uma noz. Essa caraterística deu origem ao entendimento que estes animais eram extremamente estúpidos, ideia hoje já desacreditada. Uma curiosidade é que acreditou-se durante algum tempo que este dinossauro possuía um “segundo cérebro”, localizado em uma cavidade óssea encontrada em seu quadril, que teria a função de “controlar” a parte posterior do seu corpo. Esta hipótese hoje foi praticamente abandonada, e argumenta-se-atualmente que este espaço continha estruturas de armazenamento de glicogênio, de forma semelhante ao que ocorre com aves.

Veja tambÉm...

6 respostas

  1. Marcos Afonso disse:

    Na escola faziamos bullyng com uma menina (loira)… demos carinhosamente o apelido de estegossauro prá ela… ^^

  2. Luiz Fernando disse:

    Ark suvivel evold (Y) kkkk

  3. No aguardo do Ayrolla responder minha última réplica a ele….

  4. Que lindo, Palloma Porto. Igual o meu *-*

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

PAPO DE PRIMATA precisa ter certeza de que você não é um robô! Por favor, responda à pergunta abaixo: * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>